A escola do futuro já existe, e tem um olhar para o passado.


A Green School, construída na ilha de Bali, na Indonésia, está dando aos seus alunos uma educação que deveria ser a nossa base para reformular toda a educação no mundo.


A escola procura integrar os conteúdos acadêmicos tradicionais com a aprendizagem ambiental e experiencial, baseada em práticas sustentáveis e centrada no aprendizado individual do aluno.

A linha pedagógica foi baseada no estudo do neo zelandês Alan Wagstaff, que propõe o aprendizado de forma integrada com quatro dimensões simultaneamente: emocional/social, espiritual, intelectual e sinestésica.


Considerada a escola mais verde do mundo, a Green School foi criada pelo canadense John Hardy e sua esposa, a americana Cynthia Hardy. O projeto foi idealizado em 2006, mas só começou a funcionar oficialmente em setembro de 2008, com 100 alunos.




O bambu, abundante na ilha da Indonésia, é o principal material usado na construção dos 75 edifícios da escola, em que 80% da eletricidade utilizada vêm de painéis solares, os banheiros são de compostagem e todo o lixo é reciclado ou composto. Hortas orgânicas e criações de animais permeiam o campus e a comida servida vem da produção própria ou de agricultores locais.


A diversidade é outro ponto importante da escola, por ser internacional, a Green School atrai alunos de diversas nacionalidades, e todos eles aprendem por exemplo sobre o ciclo do arroz na cultura balinesa, onde o ensino acontece na prática, plantando campos de arroz na escola, para depois colher e comer o alimento, aprendendo além de tudo, a respeitar o tempo e o processo das coisas.




A escola localiza-se no centro sul de Bali, em nove hectares de jardins cortados por um rio. Mais do que uma escola verde, a estrutura atraiu a construção de casas verdes levantadas ao seu redor, que possibilitam que as crianças caminhem entre elas em seu caminho para a aula, percebendo a sustentabilidade presente em toda a vila. Pessoas também estão trabalhando para levar indústrias ecológicas para e região e eles esperam que restaurantes com os mesmos princípios também apareçam por lá. O projeto que começou como uma escola está se tornando uma comunidade modelo.


Vale ressaltar que Bali é um dos destinos turísticos mais procurados atualmente por conta de suas paisagens paradisíacas, mas todo esse paraíso está sendo colocado em risco pela quantidade excessiva de plástico despejado no mar, grande parte desse plástico é justamente para conseguir atender o turismo em crescimento descontrolado.


Exemplos como a Green School precisam ser replicados pelos 4 cantos do mundo, mas levando em consideração o mesmo nível de engenharia e design aplicado por lá, afinal, precisamos sempre mostrar que o natural e sustentável pode sim ser bonito, funcional e rentável.


Falando em rentável, a Green School já é destino certo dos filhos de muitas famílias do mundo todo. Uma escola particular, mas que garante que 20% das vagas sejam preenchidas por filhos de balineses locais, proporcionando uma troca cultural positiva e sustentável. A gente já quer uma filial no Brasil!



30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ECOLINHA

R$18,90

faixa.jpg